quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Dois mil homens, 18 cirurgias, três overdoses: conheça os números polêmicos de Andressa Urach






Abusada aos oito, mãe aos 17 e prostituída aos 21 anos. R$ 10 mil por um programa, 2.000 homens e três overdoses. Os números que Andressa Urach revela sobre sua vida pregressa no livro Morri para Viver impressionam e mostram como a modelo chegou ao fundo do poço antes de quase morrer por causa de uma necrose na perna




Andressa foi abusada sexualmente dos seis aos oito anos pelo avô. Aos dez anos, aprendeu com a vizinha de sua casa a ter relação sexual com cachorros




Devido à rebeldia, começou a fumar cigarro com 11 anos e maconha com 13. Aos 15 anos, foi para a casa do pai que pouco conhecia e acabou tendo relações sexuais com o próprio irmão após beber bastante




Na mesma época, conheceu o ex-marido e engravidou aos 17. Ela foi casada por seis anos e, quando acabou o relacionamento, começou a se prostituir com 21 anos




O seu primeiro cliente na prostituição foi um desembargador. Ele a levou para um motel, onde conversaram por horas. Não houve relação sexual, mas Urach ganhou um cheque de R$ 500




No prostíbulo com cerca de 200 mulheres, chegou a ganhar até R$ 30 mil por mês

Ao longo dos seis anos em que se prostituiu, Andressa acredita ter feito 'programa' com 2.000 homens 




Em entrevista, ela contou que teve relacionamentos com muitos jogadores de futebol, no Brasil e no exterior. Numa dessas ocasiões, praticou sexo a cinco

Quando começou a ficar famosa, chegou a receber R$ 10 mil por programa. E, após ser capa de revista internacional, aumentou o valor para R$ 15 mil




O programa mais caro que já fez foi de R$ 30 mil. O encontro aconteceu na época em que Urach estava sendo bancada por uma pessoa, mas escapou para receber esta oferta maior

Como dormia com quatro a sete homens por noite, Andressa acredita ter ficado com 2.000 homens por ano, sendo que 90% dos clientes eram casados




Na época de prostituição, também rolaram muitas drogas e bebidas. Nesse período, chegou a ter três overdoses




Compulsiva pela beleza, Andressa chegou a fazer 14 cirurgias em quatro anos. Uma a cada três meses. Ela ressaltou que pior que o hidrogel, retirado de seu corpo, está o PMMA — um produto que não sai e está "necrosado" em oito partes de seu corpo




Ao todo, gastou cerca de R$ 1 milhão para ficar mais bonita. Mas depois, para retirar o hidrogel, passou por 18cirurgias 

Se inscreva em nosso canal 



CONTINUE LENDO...

fonte: R7