sexta-feira, 19 de junho de 2015

Caso de menino que morreu após compressa de álcool para baixar febre revela riscos do procedimento




Atenção mães: técnica é contraindicada e pode causar danos à saúde da criança 




A ideia de que passar álcool industrial na axila das crianças pode ajudar a baixar a febre causou uma tragédia na China. A morte do menino Xiao Dong, de dois anos, que ficou doente no fim de semana em casa, em Dongguan, reaqueceu o debate sobre métodos não tradicionais e caseiros para se tratar doenças. Especialistas consultados peloR7 alertam: consulte sempre um médico antes de utilizar qualquer receita "milagrosa". 

Para tentar reduzir a temperatura, o pai, Chang, usou álcool industrial nas axilas de Xiao, mas ele desmaiou em seguida. Os pais correram com o menino para o hospital de Shenzhen, mas Xiao já estava inconsciente. De acordo com o jornal Mirror, o menino morreu no dia seguinte, intoxicado pelo metanol.

O médico Ma Weike, que atendeu ao caso, disse que, quando chegaram ao hospital, os pais não sabiam que o álcool havia causado o problema. 

— Eles pensaram que a febre tinha feito a criança perder a consciência. Os pais acreditavam que o álcool poderia ser usado para baixar a temperatura do corpo, mas não perceberam que uma dosagem alta, estimada em 1 litro de álcool industrial, poderia ser fatal.

O triste episódio pode e deve servir de alerta para outros pais. Segundo o professor de pediatria da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Safadi, não é possível saber até que ponto o álcool contribuiu para a morte do menininho chinês, mas é oportuno salientar que esta é uma prática equivocada. 

— Infelizmente, ainda existem muitas mães que acreditam que a compressa de álcool baixa a febre. No entanto, é um procedimento que traz riscos e não deve ser feito. Pode causar queimaduras na pele na criança e, como o álcool é volátil, pode ser inalado e intoxicar a criança. Esses efeitos contraindicam formalmente essa prática. 

Outro erro muito comum cometido pelos pais e que pode piorar o quadro febril são banhos frios com álcool. O doutor Safadi explica que, além de provocar desconforto, fazendo com que a criança fique tremendo, o banho frio pode levar a um efeito rebote, causando uma vasoconstrição periférica, e elevando ainda mais a temperatura. 

— Febre não é um bicho de sete cabeças, mas caso haja necessidade de uma intervenção, até que o antitérmico aja, a mãe pode lançar mão do banho, mas um banho morno, que não gere desconforto na criança. Álcool, é bom salientar, é contraindicado e não baixa a febre.

Continue lendo...

Fonte: R7