quarta-feira, 22 de abril de 2015

Libertadores São Paulo vence Corinthians por 2 a 0 e enfrentará o Cruzeiro nas oitavas





O clima era de desconfiança, mas o São Paulo fez valer sua tradição em Copa Libertadores para avançar com bastante autoridade. Nesta quarta-feira, contra um Corinthians em queda acentuada e com invencibilidade batida, os são-paulinos venceram por 2 a 0 e carimbaram o passaporte na próxima fase da competição.
Os confrontos estão definidos. Melhor segundo colocado, o São Paulo irá enfrentar o Cruzeiro nas oitavas de final. O Corinthians, que pegaria o Atlético-MG em caso de derrota pelo placar mínimo, ao ser batido por 2 a 0 encaminhou um cruzamento que inspira menor preocupação. Será rival do Guarani-PAR.
A equipe de Tite foi a quinta melhor da fase de grupos, mas perde sequência de 24 jogos oficiais sem perder em 2015. Os são-paulinos, por sua vez, venceram o rival no Morumbi pela primeira vez desde 2007.
Em mais uma oportunidade, a indisciplina de Emerson Sheik custou ao Corinthians. Ele foi expulso no início do jogo por agressão a Rafael Toloi e prejudicou todo o planejamento para o Morumbi. Pressionado pelo São Paulo na véspera, Sandro Ricci ainda mostrou cartões vermelhos rigorosos para Mendoza e Luís Fabiano. Hudson e Dória, por sinal, também estão suspensos, mas por acúmulo de amarelos. 
A Conmebol ainda irá definir datas para os confrontos, mas o mata-mata já tem início na próxima semana.
Fases do jogo: Três dias depois de ser eliminado do Paulista de forma apática, o São Paulo ressurgiu na Libertadores com vitória contundente. A base para o triunfo foi o sistema tático que Milton Cruz já havia testado em segundo tempo de jogo recente contra o Red Bull. Além disso, uma contribuição muito grande de Emerson Sheik.
Provocado por Toloi, que passou imune aos olhares da arbitragem, Sheik deixou o pé para o zagueiro tropeçar e acabou expulso por Sandro Meira Ricci a 18min do primeiro tempo. Se já era melhor, o São Paulo tomou conta de vez da partida com a superioridade numérica do 4-4-1-1 de Milton com Hudson e Michel Bastos abertos pelos lados do meio-campo.
Era, pelo lado esquerdo, que o São Paulo construía quase todas as suas jogadas na parceria entre Reinaldo e Michel. E foi assim que o placar foi construído: primeiro, aos 31min, o lance iniciou por ali e dentro da área, Luís Fabiano recolheu após bate-rebate e anotou com um chute cruzado. Depois, aos 39min, Michel Bastos chutou de fora, Cássio errou a defesa e a bola entrou.
Com o Corinthians desnorteado, Tite apostou em Stiven Mendoza para mudar o panorama, mas houve pouco tempo para isso. Aberto pelo lado esquerdo, o colombiano teve desentendimento rápido com Luís Fabiano, mas Sandro Meira Ricci resolveu pesar a mão. Mesmo sem qualquer agressão clara entre os rivais, ambos foram expulsos pelo juiz.
O São Paulo dava certo e Mílton mexeu o mínimo possível na equipe que não deu qualquer chance ao Corinthians. Tite sacou seus dois articuladores, reforçou o meio com Bruno Henrique e, já no último terço da partida, colocou Danilo como jogador mais avançado. Nada, porém, que pudesse levar qualquer risco a Rogério Ceni. Foi, sem dúvida, o pior jogo corintiano em 2015.
Fonte: uol