sexta-feira, 10 de abril de 2015

Grêmio vence nos pênaltis e garante vaga na semi





O Grêmio tentou, e muito. Com a bola rolando, saiu atrás, empatou, e acertou a trave três vezes, uma em cobrança de pênalti perdida por Douglas. Mas empatou em 1 a 1 com o Novo Hamburgo, nesta quinta-feira (09), pelas quartas de final do Gauchão. Nas cobranças de pênalti, Marcelo Grohe evitou a eliminação ao defender pênalti de Paulinho. E classificou o Grêmio ao defender a batida de William Schuster. Um final de 6 a 5 com muita festa. 
O Tricolor, agora pega o Juventude, que venceu o Ypiranga nas semifinais. Em vez de jogo único, o duelo será decidido em ida e volta. O primeiro jogo será no domingo, em Caxias do Sul. Com a bola rolando, Fred fez de falta para o Novo Hamburgo. Pedro Geromel empatou no segundo tempo. Rhodolfo e Douglas, duas vezes, uma vez de falta e outra de pênalti, carimbaram a trave. 
Fases do jogo: 
O Grêmio tentou atacar desde o início. Com a formação habitual, o time da casa tratou de atacar rapidamente utilizando as pontas. Matías Rodríguez foi boa opção pelo lado direito nos primeiros 15 minutos. Até um gol chegou a ser marcado, por Braian Rodríguez. No entanto o árbitro anulou o gol ao assinalar impedimento, aos 14 minutos. 
Mas aos poucos, o Novo Hamburgo tomou conta da partida. Passou a assumir o comando de ações no meio-campo, trocou passes e chegou pouco a pouco. Ganhou terreno, avançou, e abriu o placar. Aos 28 minutos, Fred fez de falta.
Abatido, o Grêmio passou a tentar apressar o ataque. E errou. Se precipitou em muitos passes, não teve o comando do jogo em hora alguma. Ao fim dos 45 minutos iniciais, foi vaiado. 
No segundo tempo a posse passou a ser total gremista. O Novo Hamburgo se limitou a recuar, postando a primeira linha defensiva muito próximo ao goleiro Rafael. Yuri Mamute, que entrou no Grêmio, tratou de buscar jogadas individuais. O time mudou taticamente e passou ao 4-4-2, com Luan também de atacante. 
Aos 20 minutos, Felipão tentou a última cartada. Colocou Everton no lugar de Giuliano. Com isso, o Grêmio foi para o 4-3-3, Everton pela direita, Mamute centralizado e Luan aberto na esquerda. E em uma bola parada, o gol saiu. Douglas cruzou na área e Pedro Geromel subiu mais alto que a defesa adversária para colocar na rede aos 24 minutos da etapa final. 
 Só o Grêmio jogava. Do meio para frente, amassava atrás do gol. Até que, aos 27 minutos, Yuri Mamute foi lançado por Douglas e derrubado dentro da área por Willian Schuster. Pênalti marcado. Mas Douglas perdeu ao acertar a trave, aos 30 minutos. 
No minuto seguinte, César Lucena fez falta dura em Yuri Mamute e, como já tinha o cartão amarelo, foi expulso. Mais espaço para o Grêmio buscar a virada. Aos 41 minutos, falta da entrada da área. Douglas se coloca para cobrança, mas novamente a trave impede o gol. No minuto seguinte, Douglas foi lançado, entrou livre, tirou do goleiro, mas Bolívar, de cabeça, impediu o gol. Aos 47, Luan cruzou e Rhodolfo carimbou a trave pela terceira vez. Tudo até o apito final e decisão por pênaltis.
Nos pênaltis: Maicon acertou para o Grêmio. Magrão igualou para o Novo Hamburgo. Fellipe Bastos recolocou os tricolores na frente. Fred igualou novamente. Luan fez o terceiro gremista. Thiago Humberto fez o terceiro do Nóia. Everton perdeu para o Grêmio. Luís Mário recolocou o Nóia no jogo. Douglas bateu o último gremista e fez. Paulinho errou o último do Novo Hamburgo. Marcelo Oliveira fez para o Grêmio e Dê fez o seguinte. Ramiro continuou as batidas e marcou. 
O melhor: Marcelo Grohe: Salvou o Grêmio da eliminação e depois classificou o time tricolor ao defender cobranças de pênalti. 
O pior: Braian Rodríguez: O atacante não conseguiu auxiliar como deveria na frente. Acabou substituído no intervalo. 
Chave do jogo: Bola parada - Grêmio e Novo Hamburgo marcaram gols de bola parada. Aproveitando-se disso, o jogo foi resolvido. 
Toque dos técnicos: 
Felipão usou o que tem de melhor. Montou o Grêmio no 4-2-3-1, com Giuliano aberto pela direita, Douglas centralizado e Luan na esquerda. Braian Rodríguez foi o centroavante. Maicon e Ramiro ficaram livres para atacar, mas deram espaços. Mas durante o jogo, o Grêmio passou para o 4-4-2 e depois 4-3-3.
Em vez do 3-5-2 anunciado, o Novo Hamburgo montou um quarteto defensivo com cinco no meio campo e Beto Cachoeira no ataque. O time de Roger Machado se defendeu com o máximo de jogadores possíveis. 
Para lembrar: 
Magrão se explica e chora. O volante do Novo Hamburgo atestou positivo para uma substância não revelada em exame antidoping realizado em fevereiro. Antes do jogo, chorou e revelou que o doping se dá por conta do tratamento para cura de um câncer. 
GRÊMIO (6) 1 X 1 (5) NOVO HAMBURGO
Data: 09/04/2015 (quinta-feira)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Árbitro: Anderson Daronco
Auxiliares: Júlio Cesar dos Santos e Antônio João do Prado Albornoz
Renda: R$ 509.844,00
Público: 16.991 (15.279 pagantes)
Cartões amarelos:  Magrão (NH), Beto Cachoeira (NH), Cesar Lucena (NH), Bolívar (NH), William Schuster (NH)
Cartões vermelhos: César Lucena (NH)
Gols: Fred, do Novo Hamburgo, aos 28 minutos do primeiro tempo; Pedro Geromel, do Grêmio, aos 24 minutos do segundo tempo.

Fonte: UOL