sábado, 11 de abril de 2015

Falta de combustível compromete trabalho da Samu de Tubarão,SC





Movidos pela espera de pessoas que precisam de atendimento rápido, os profissionais que trabalham no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Tubarão enfrentam um dilema: saber se chegarão ao destino devido à escassez de combustível. O problema é motivado pela falta de pagamento, que deveria ser feito pelo governo do Estado. 
De acordo com um profissional do Samu de Tubarão, que prefere não ter seu nome identificado, o problema se arrasta desde novembro do ano passado. Para se ter uma ideia da gravidade do problema, o profissional conta que esta semana, por exemplo, se a ambulância do Samu da Cidade Azul precisasse fazer a transferência de um paciente para outra cidade, como Florianópolis, o veículo poderia não chegar ao destino. 
“Pode parecer piada, mas torcemos para que não seja preciso fazer esse deslocamento. O medo é de ficar na estrada”, desabafa o profissional de Tubarão. “Ainda não chegamos ao ponto de ficar sem combustível como aconteceu na grande Florianópolis, conforme relato na imprensa estadual. Mas estamos apreensivos”, alerta o profissional. 
Na quinta-feira, na Capital, socorristas do Samu protestaram em frente ao estacionamento durante todo o dia, pois, das quatro ambulâncias, apenas uma estava em operação, devido à falta de combustível. E não havia garantia de reabastecimento para manter a normalidade do atendimento. 
Além da falta de repasse para o combustível, o profissional do Samu de Tubarão destaca também que há atraso no pagamento de médicos e enfermeiros. “Felizmente, quanto às condições das duas ambulâncias e da sede do Samu em Tubarão, estamos bem guarnecidos”, antecipa o servidor. A reportagem do DS entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Estado para informação sobre a denúncia, mas até o fechamento desta edição não obteve respostas.


Daiane Fernandes
policia@diariodosul.com.br

Fonte: Diário do sul